top of page
  • Foto do escritorManuel Matos

O futuro da segurança no Open Insurance: Desafios e Soluções


Open Insurance


Recentemente, uma revista especializada do setor de seguros publicou um artigo sobre segurança da informação no Open Insurance, destacando preocupações válidas sobre o potencial de vazamento de dados sensíveis.


Embora o artigo ressalte riscos importantes, é fundamental ampliar a discussão, reconhecendo os avanços e esforços contínuos para garantir a segurança e a confiança nas iniciativas de Open Insurance.


Primeiramente, é relevante entender que a segurança sempre foi uma pedra angular no setor financeiro e de seguros. Com o advento do Open Insurance, essa importância só aumenta. A indústria está em constante evolução, buscando inovar e aperfeiçoar suas práticas de segurança. Isso inclui medidas técnicas avançadas, como criptografia robusta, autenticações multifatoriais, e regulamentações estritas de compliance.


Um aspecto fundamental é a responsabilidade compartilhada. A segurança não recai apenas sobre as plataformas de Open Insurance, mas também sobre os usuários e os parceiros envolvidos. A escolha de parceiros tecnológicos confiáveis e a manutenção de práticas de segurança pessoais são essenciais. É importante destacar que os desafios de segurança em APIs e sistemas digitais não são exclusivos do Open Insurance.


Estes são problemas amplamente reconhecidos na indústria de TI, existindo também em sistemas financeiros e de seguros tradicionais. O que diferencia o Open Insurance é a sua abordagem proativa e transparente na gestão desses riscos.


A transparência é outra chave para construir confiança. As empresas envolvidas no Open Insurance estão comprometidas em ser transparentes sobre suas práticas de segurança e em responder ativamente aos feedbacks e desafios que surgem.


Os benefícios do Open Insurance superam os riscos, especialmente quando geridos eficazmente. A inovação, a concorrência melhorada e o controle de dados pelo usuário representam um avanço significativo para a indústria.

Além disso, é vital a educação e a conscientização sobre práticas seguras de compartilhamento de dados. A indústria, os reguladores e principalmente os Corretores de Seguros devem trabalhar juntos para educar tanto os consumidores quanto as empresas sobre como gerenciar e mitigar riscos potenciais.


Em conclusão, enquanto as preocupações com a segurança são legítimas e necessárias, os esforços contínuos e colaborativos entre as empresas, os reguladores e a tecnologia estão criando um ambiente cada vez mais seguro e robusto para o Open Insurance.


À medida que avançamos, essa abordagem colaborativa e proativa será essencial para desbloquear todo o potencial dessa inovadora iniciativa, pavimentando o caminho para um futuro onde os dados são não apenas seguros, mas também empoderam os consumidores e impulsionam a inovação no setor.


Manuel Matos é Estrategista de Open Insurance para Distribuição de Seguros no Brasil, Vice-presidente da FENACOR, Fundador da Via Internet Insurance Consulting e ex presidente da camara-e.net – Câmara Brasileira da Economia Digital.

12 visualizações0 comentário
bottom of page